quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Lua crescente - Augusto de Abreu


A lua crescente
Sorri para mim
Eu para ela
Passamos as noites
Gargalhando

7 comentários:

Anônimo disse...

Curta, mas boa e hilária poesia; dá vontade de gargalhar junto com vocês dois: Augusto e Lua.
Abraço,
Lílian

Neide disse...

ela ri, pois sabe que vai ficar cheia breve...
essas suas "curtas metragens" são
preciosas!

Neide Eeliot

URUSSANGA SC disse...

Concordo com vocês e o poema onde a lua está presente sempre deixa algo no ar para que possamos sonhar com ela...

Rita Padoin

Vera Portella disse...

Lindo....um beijo carinhoso da verinha portella

Carlos disse...

Parabéns pela sua poesia, a lua como sempre nos faz sonhar.
Carlos

Susana disse...

Onde tem lua e Augusto com certeza tem poesia e alegria. Abraços, Susana

Julio Cesar Gentil disse...

Luar, Augusto e poesia...
Seriam gargalhadas estelares ou meteoros de alegria?!

Abraços do aprendiz!