quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Mar - Rita de Cássia Padoin

Mar

As águas do mar batem nas pedras e estouram...
O espetáculo explode e tudo fica silencioso
Sentada sobre a pedra estou
Sentindo o mundo ao meu redor girar
Meu coração pulsa forte
Escuto seus clamores
Fecho os olhos e sinto o cheiro da maresia...
O vento bate no meu rosto
Vejo o quanto é maravilhoso viver
O quanto vale a pena estar viva
Isso faz com que eu não pare de lutar
Meu coração se acalma
Tudo fica silencioso
A gaivota grita
Dizendo o quanto está feliz
E o silencio volta a reinar
A paz chega e fica por ali
Fazendo-me companhia.


Rita de Cássia Padoin é poetisa convidada

8 comentários:

Aline disse...

Ritinha parabénsss! Muito linda a poesia ;)
Depois faz uma pra mim hahaha! Brincadeirinha! Mas fiquei encantada! Beijooo =*

AUGUSTO disse...

Olá Aline
Que bom que comentou a poesia da Rita. Ela não acreditou em mim quando disse a ela que era linda o poema.
Augusto

Lany disse...

Lindo!
A Rita é uma pessoa iluminada,ler as palavras dela não se compara a estar perto e sentir próximo a maneira que ela vê a vida e que sente tudo que vive.É sem dúvida uma das melhores pessoas que cruzou meu caminho nos últimos anos.Augusto,também tenho um blog,posso te convidar a conhecê-lo?Li os outros blogs seus,e acho que temos alguns conflitos internos,parecidos hehe.Abraço.
Lany

Nelise e Marquinho disse...

Concordo com a Lany...a Rita é muito especial...ja me fez muito bem e faz ainda. Mais não conhecia essas habilidades, linda suas palavras amiga. Vc é realmente iluminada.
Bjuu...Lili!!!

igor disse...

Realmente muito lindo o poema da Rita!
está de parabéns e espero ler outros.

Oscar disse...

sempre soube que tu tinhas talento pra isso!!
linda Rita!

Lucimar disse...

Rita tua poesia está maravilhosa, alias não é uma poesia somente, é um sentimento expressado em palavras.Que bom que vc se encontrou, vc merece tudo de bom.
TE ADORO
BJUS

LizandraF7 disse...

Rita, como sempre, mestre na arte de verbalizar sentimentos, emoções e sensações e agora, para minha surpresa, em poesia! Por isso que te amo Rita, és uma fonte inesgotável de surpresas e sempre surpresas boas para a alma! Namastê